terça-feira, 24 de dezembro de 2013

O blogue O Estranho Mundo dos Livros deseja a todos os leitores

BOAS FESTAS


FELIZ ANO NOVO!


BOAS LEITURAS!!!!!!

OPINIÃO! «O que deve saber sobre dinheiro e mercados financeiros», Luis Maia

Autor: Luís Maia
Colecção: Compendium
Páginas: 225
Data de publicação: Abril de 2013
Género: Investimentos Financeiros
Preço: 14,00 €
ISBN: 978-989-51-0238-9

Sinopse:
“Ter dinheiro extra no final do mês, ganhar independência financeira, ter uma reforma antecipada, não se preocupar com dinheiro e com as contas para pagar, ou até mesmo ser rico. Tudo isso é possível. Não depende da sorte ou daquilo que a vida nos pode oferecer - mas sim daquilo que estamos dispostos a fazer para atingir os objetivos propostos. Portanto, é imperioso definir o objetivo, estudar a nossa situação atual e traçar a rota a seguir.”

Luis Maia, conhecido especialista e formador em mercados financeiros internacionais, partilha consigo a sua experiencia como investidor e explica porque existem tantas ideias erradas sobre dinheiro e investimentos. Mais do que isso, explica que a nossa relação emocional com o dinheiro tolda a nossa visão do futuro, vivendo apenas para pagar as contas do dia-a-dia e esquecendo que o dinheiro é apenas um veículo que nos pode levar para outra forma de viver.
O autor ensina-nos os elementos-chave que levarão uma pessoa absolutamente normal a mudar os seus hábitos financeiros e a saber investir de uma maneira a ter outras fontes de rendimento e até a obter independência financeira.
Ao longo destas páginas, Luís Maia conversa com o leitor de modo a lhe ensinar tudo o que precisa saber para transformar a sua forma de pensar e a saber investir para não voltar a preocupar-se com o dinheiro

Opinião:
Considerei esta obra importante de divulgar, não só pelo interesse em aprender sempre mais alguma coisa sobre o tema, como também por considerar necessário uma cultura de investimento em Portugal.

Nessa medida, com o manual simplificado sobre como usar o dinheiro e investir com rentabilidade, podemos iniciar uma aprendizagem sobre o mundo dos investimentos. O autor facilita a leitura desta obra, pois usa uma linguagem muito acessível e simples, que nos permite ler e compreender sem qualquer dificuldade ou sensação de enfado.

O autor descreve e explica diversos conceitos sobre o tema em questão, com o intuito de permitir que o leitor adquira os conhecimentos básicos necessários para a aplicação do seu dinheiro em investimentos mais rentáveis, conhecendo sempre os seus riscos e a medida das garantias que cada investimento pode implicar. 
Usa também alguns gráficos, articulando e simplificando tudo o que precisa de saber sobre o mercados financeiros e "tirar proveito deles".

Um pormenor que me despertou a atenção foram os depósitos a prazo, pois achava eu que eram uma opção bastante considerável, mas com um limite temporal muito alargado, o que dificultava a rentabilidade imediata. Qual é o meu espanto que neste livro o autor refere o seguinte: 
"o depósito a prazo não é um investimento mas sim uma forma de perder pouco dinheiro de cada vez".

Uma obra que pode ser um excelente auxiliar para os seus investimentos.

Contudo não posso terminar, sem antes sublinhar aqui uma frase do autor Luis Maia, essencial na nossa vida:
"[...] a atitude correcta e o que fazer com o dinheiro: antes de aumentá-lo é preciso poupá-lo."

Boas Leituras!

sábado, 7 de dezembro de 2013

OPINIÃO! « O Homem de Constantinopla» de José Rodrigues dos Santos

Autor: José Rodrigues dos Santos
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 504
Editor: Gradiva Publicações
ISBN: 9789896165499

Sinopse:
"O Império Otomano desmorona-se e a minoria arménia é perseguida. Apanhada na voragem dos acontecimentos, a família Sarkisian refugia-se em Constantinopla. Apesar da tragédia que o rodeia, o pequeno Kaloust deixa-se encantar pela grande capital imperial e é ao atravessar o Bósforo que pela primeira vez formula a pergunta que havia de o perseguir a vida inteira:
"O que é a beleza?"
Cruzou-se com a mesma interrogação no rosto níveo da tímida Nunuphar, nos traços coloridos e vigorosos das telas de Rembrandt e na arquitectura complexa do traiçoeiro mundo dos negócios, arrastando-o para uma busca que fez dele o maior coleccionador de arte do seu tempo. 
Mas Kaloust foi mais longe do que isso.

Tornou-se o homem mais rico do planeta.

Inspirado em factos reais, O Homem de Constantinopla reproduz a extraordinária vida do misterioso arménio que mudou o mundo - e consagra definitivamente José Rodrigues dos Santos como autor maior das letras portuguesas e um dos grandes escritores contemporâneos."

Críticas de imprensa:
«Um estilo de escrita prodigiosamente poético e melódico que enfeitiça o leitor.»
Literaturzirkel Belletristik, Alemanha

Opinião:
Para mim não era novidade nenhuma que não ia resistir em ler a mais recente obra de José Rodrigues dos Santos, contudo foi um choque saber que o romance era composto de dois volumes!!! Não há carteira de aguente, porque infelizmente os livros deste autor são sempre muito caros. Na minha modesta opinião, penso que podiam ser bem mais acessíveis.

Mas quem sou eu? enfim...

Agora falando da história que nos conta o autor.
Desta vez o autor deixou de lado a personagem Tomás Noronha, para dar lugar a personagens novas e que não me desagradaram. 
Gostei da forma como este livro foi trabalhado, à volta da riqueza e do poder. Claramente o autor reforça a ideia que quem pretende chegar ao poder terá que investir nos melhores conhecimentos inclusive, junto de quem pode favorecer através da corrupção e de desfiles sociais, por exemplo.

Falando um pouco sobre a personagem Kaloust, posso adiantar que ao início conseguiu conquistar-me pela sua astúcia e inteligência, sendo esta a personagem que coloca ao leitor uma dúvida simples e no entanto muito complexa, que a vida nos presenteia mas que ao mesmo tempo nos impede de possuir de diversas formas: «o que é a beleza?»
A mera existência permite obter conhecimento, a aprendizagem leva-nos mais longe podendo muitas vezes permitir a concretização dos nossos sonhos/objectivos...mas a mera existência traduz-se na certeza de saber o que é a beleza?

Kaloust é uma personagem cujo crescimento o leitor vai acompanhar, contudo à medida que se torna ríspido e presunçoso com as suas intenções de rejuvenescimento, torna-se difícil de compreender e simpatizar. Kaloust, consciente da sua inteligência prospera nos negócios com esperteza e engenho, ultrapassando diversas dificuldades com que se depara após a fuga de Constatinopla. 
Aliás, já em jovem traçava os seus objectivos muitas vezes alcançados pela sua perseverança.

O Homem de Constatinopla conta as reais dificuldades do povo arménio, com a descrição das suas tradições, bem como os ataques dos turcos aos cristãos, que matavam estes últimos sem qualquer sinal de remorso.

Tive imenso prazer em verificar que a arte tem um papel importante nesta obra.
Mas é o petróleo que ocupa a narração que José Rodrigues dos Santos nos presenteia, clarificando os verdadeiros jogos de poder  no mundo do petróleo, em que as peças se movem premiando sempre os mais astutos e audazes.

O Homem de Constantinopla trata-se de uma bela obra que nos cativa desde o momento em que se encontra exposto para venda até ao final da sua leitura!

Um livro magnífico que retrata o verdadeiro poder do ouro negro! O Homem de Constantinopla é claramente um espelho da sociedade.

Boas leituras!

terça-feira, 19 de novembro de 2013

OPINIÃO! «Transforme-se num Detector de Mentiras», Janine Driver

Título: Transforme-se num Detector de Mentiras
Autora: Janine Driver
Páginas: 352
ISBN: 978-972-53-0527
Ano: 2013
Preço de Capa: €16
Preço Online: €14.39

Sinopse:
«Janine tem o dom de ensinar e mais uma vez tornou a detecção da mentira numa coisa divertida, interessante e útil.» 

"Joe Navarro, agente especial do FBI reformado e autor do bestseller internacional What Every BODY is Saying 

O que diria de: aumentar o seu vencimento, dar um chuto nos problemas e preocupações e dormir melhor à noite, aprendendo simplesmente a detectar uma mentira mal a vê (ou mesmo antes)? E que tal se tivesse à sua disposição um teste fácil de usar que o avisasse assim que alguém lhe tenta esconder alguma coisa? Um detector de mentiras inato, tão poderoso, que se transforma numa competência inconsciente, aplicável a qualquer pessoa, em qualquer situação, capaz de o ajudar a agir depressa, antes que aquilo que começou por ser uma mentirinha piedosa subitamente se apodere de si, do seu livro de cheques, da sua felicidade? 

Nenhuma máquina construída até à data se revelou mais eficaz do que um detector de mentiras humano, afirma Janine Driver, ex-investigadora criminal dos EUA, que já deu formação a agentes da CIA e do FBI. Transforme-se Num Detector de Mentiras mudará a sua forma de encarar candidatos a empregos, colegas de trabalho, parceiros sentimentais, vendedores, gestores financeiros — todos aqueles de quem esperamos, e merecemos, a verdade — ao mesmo tempo que reforçará e aprofundará os seus relacionamentos pessoais com irmãos, filhos, amigos e amores."


Opinião:
Quando tiver este livro, antes de o começar a ler, além das bolachinhas convém ter perto de si papel e caneta. Porque anotações não vão faltar!
Foi sem dúvida um prazer enorme conhecer as ideias de Janine Driver, especialista de renome mundial no campo da linguagem corporal, que para além de ensinar também partilha com o leitor alguns dos seus episódios de vida, de modo a que possibilita uma certa afinidade e facilidade em interiorizar diversas chamadas de atenção subjacentes a esses episódios partilhados. 

A linguagem corporal tem sido um tema de muito interesse para mim, não só porque entendo que a maioria das pessoas na sua vida social tendem a esconder o que sentem verdadeiramente, o que leva a que na minha vida profissional seja muito útil, como também passei a ser apaixonada por este tipo de linguagem. Porque na realidade, numa conversa a dois estamos perante mais do que uma linguagem.
Para mim é de facto magnífico observar outras pessoas, o seu tom de voz, expressões faciais, corporais, como posiciona o corpo e enquadrar tudo isso no tema em questão e no que me está a dizer, nunca esquecendo de avaliar o seu comportamento normal, para não ser induzida em erro por uma expressão que lhe é característica, mas que erradamente eu poderia classificar como mentira!

Transforme-se num Detector de Mentiras, é um livro que é lido à escala mundial uma vez que tem uma base fundamental, a procura da verdade em todas as situações que nos surgem no dia-a-dia. Como a própria autora esclarece, pode aplicar em pessoas que cuidam dos nossos entes queridos, em pessoas que se aproximam dos nossos filhos, como também em casos de amigas falsas e maridos traidores.

A autora começa por referir os «dez maiores mitos sobre mentira», muito interessantes, passando depois à apresentação de um «Teste de domadores de mentirosos». A partir daí começa a aprendizagem de todos os passos necessários para o leitor apurar o seu barómetro da mentira, para aplicar em casos concretos!

Foi realmente impressionante, uma obra que tive muito gosto em ler e reler. Tive o cuidado de ler com calma e voltar atrás quando era necessário e cheguei a fazer alguns testes na rua!

Certo é que gostaria imenso de conhecer a ilustre especialista Janine Driver e frequentar os seus cursos! É impossível, mas sonhar não custa!
Não posso deixar de sublinhar alguns casos reais que a autora apresenta e ensina como devemos reagir nessas situações, com o tópico «solução em 7 segundos». Assim, para quem tiver oportunidade de ler:
- «O interruptor» (o que fazer quando alguém está constantemente a interromper-nos), pág. 152;
- «Com o vendedor de automóveis» (evitar abusos inapropriados), pág.206;
A criada do vizinho» (quando é necessário colocar um ponto final no abuso de alguém que pensa que temos que disponibilizar todo o nosso tempo a ajudar), pág. 304.

Agora a pergunta final! 
O que mudou depois de ler «Transforme-se num Detector de Mentiras»?
Para mim foi uma chamada de atenção para muitos aspectos da minha vida. Não foi o primeiro livro que li sobre linguagem corporal, mas posso afirmar que consegui adaptar muito do que aprendi e trouxe muita energia positiva.

No meu entender, resta esperar e ir aplicando aos poucos todos os passos que Janine ensina e se necessário voltar a consultar esta grande obra!

A todos vós desejo Boas Leituras!

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Convite Edições Colibri: Sessão de apresentação do livro "A Caminho do Sul"


OPINIÃO! Meredith O Anjo Negro, de Alberto Malheiro

Autor: Alberto Malheiro
Edição: 2000
Páginas: 239
Editora: Guimarães Editores

Sinopse:
«Viver para sempre... o mito da eterna juventude. Seríamos realmente mais felizes se nos fosse dado o poder de desafiar a morte?
Meredith, a heroína negra, aceitou o desafio, seduzida pelo prazer dos deuses - a vingança, mas cedo descobriu que muito havia a perder e, talvez, pouco a ganhar. 
Mais do que um romance de feitiçaria, este é um romance negro. Mas negro porque revela o que há de pior dentro do coração de qualquer um O demónio não toma aqui um papel muito mais interveniente do que o vendedor de um carro. O seu papel começa e acaba no momento em que assina o contrato. 
Concede o pedido, a troco do preço, negando imediatamente qualquer responsabilidade na forma como Meredith faz uso dos terríveis poderes que adquiriu.
É Roderico quem acaba por mostrar a Meredith o verdadeiro preço que ela pagou: a privação de amar para todo o sempre. Meredith descobre, ao perder Roderico, que há um Inferno privativo em cada pessoa.

Num repente, tudo o que ela adquiriu deixa de ter significado, por comparação com a única coisa que ela perdeu.»

Opinião:
Foi com grande entusiasmo que li o primeiro volume da trilogia do escritor Alberto Malheiro. 
Já tencionava ler este livro há alguns anos, mas como estava esgotado nas livrarias não o conseguia comprar. Numa visita a uma loja cash converters tive a felicidade de o encontrar! Agarrei-me imediatamente a ele para que mais ninguém o pudesse levar. Parecia uma louca agarrada a um livro!

O enredo começa em "Vila Verde, uma pequena vila a norte de Braga", onde nos é dado a conhecer a família Navarro e a trágica morte de Hugo Navarro. O seu pai, Artur, encontra uma carta na qual Hugo transpõe a sua certeza em como Meredith existe realmente e a necessidade de encontrar Grimoire.

No primeiro capítulo é possível perceber a ligação entre as gerações da família Navarro, pois Meredith era precisamente a ligação real e confusa ao mesmo tempo. Neste primeiro volume, O Anjo Negro o autor conta a história de Meredith, a sua vivência e a causa de ter entregue a sua alma em prol da vingança necessária. O demónio apenas representa o seu papel como vendedor, e executor de uma promessa a cumprir.

Considero uma obra que não é fácil de entender, isto porque tem uma construção muito pensada e uma ligação muito forte entre os diversos capítulos. Todas as palavras estão bem colocadas e com o propósito de serem descobertas e entendidas ao longo da leitura incessante da obra!
Facto que leva o leitor a querer ler o livro todo seguido!

Razão pela qual a leitura de O Anjo Negro foi muito gratificante. E agora resta-me esperar o tempo que for preciso para encontrar os dois volumes que faltam!!!

É um livro que certamente vou reler.

Boas Leituras!

terça-feira, 1 de outubro de 2013

sábado, 21 de setembro de 2013

OPINIÃO! «Indiscrição», de Charles Dubow


Autor: Charles Dubow
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 280
Editor: Editorial Planeta
ISBN: 9789896574048

Sinopse:
"Harry e Madeleine Winslow parecem ter sido abençoados na vida: têm talento, charme e dinheiro. Harry é um autor premiado e com uma carreira promissora. Madeleine é uma mulher de beleza sublime e graça cuja bondade e serenidade desmentem a educação privilegiada e vivência no luxo. Ligados por profunda devoção, partilham um amor que provoca inveja.
Num fim-de-semana, num princípio de Verão passado na praia, Harry e Maddy, que estão na casa dos quarenta, conhecem Claire uma jovem aparentemente inocente, inteligente e que desperta com sua a juventude cativante e ingenuidade desarmante uma admiração no casal. Atraída pelo inegável magnetismo dos Winslow, Claire entra na vida no casal. Mas, ao longo do Verão, a amizade e reverência transformam-se em desejo perigoso. O que irá abalar e poderá destruir o mundo dos Winslow.
Uma história de amor, luxúria, engano e traição contada através da perspectiva de Walter, amigo de infância e apaixonado em segredo por Maddy.
Indiscretion é um romance pensado, cheio de fascinantes factos da vida, um irresistível e sensual page-turner, que explora o desejo de ter tudo, e as consequências de querer mais, com um equilíbrio subtil de sexo e muito intimista."

Críticas de imprensa:
«Profundamente intimista e sensual, a história mais íntima que irá ler este ano.» 
Booklist

«Estreia elegante escrita inteligente e observadora
Publishers Weekly

«O primeiro romance de Charles Dubow é uma deliciosa e absorvente história. As personagens cativantes parecem saltar da página convidando a entrar na sua história.» 
Library Journal

«Um romance épico de amizade, traição e amor eterno... excelente.» 
Kirkus

«Dubow prova ser um escritor elegante, com um sentido perspicaz de como moldar o seu material e conseguir apelar aos leitores. Cenários glamorosos, dinheiro antigo e sexo escaldante tudo se combina para tornar este romance uma leitura viciante
Booklist

«O maior trunfo de Charles Dubow está na maneira como reinventa e revigora assuntos familiares de uma forma nova e hipnotizante
New World Review

Opinião:
Foi com grandes dúvidas que comecei a ler Indiscrição, porque ao olhar para a capa pensei que se tratava de um romance erótico e muito sinceramente não era minha intenção "ler mais do mesmo".

Apesar desta interpretação apressada iniciei a leitura de Indiscrição e estou em crer que me foi possível reviver os tempos em que as minhas tardes eram passadas, envolta nas palavras de Jackie Collins e Susan Howatch...

À medida que ia bebendo da história de Charles Dubow, pude sentir uma revolta contra o autor, pois este teimava em trilhar o caminho das personagens para a perdição, para o precipício! Chegava a ser doloroso aceitar as acções descritas e o desenvolvimento do romance.

A relação entre Harry e Madeleine Winslow é perfeita, o que leva a que as restantes personagens vivam em função destes. É precisamente o que se passa com Walter, pois Maddy é o seu verdadeiro amor. Através das palavras de Walter, o leitor conhece a "verdadeira" história de Harry e Maddy e o que levou Harry a tomar determinadas decisões.
Charles Dubow conseguiu criar o espelho da sociedade. Precisamente, porque muitas vezes a paixão é confundida com o amor, tal como a juventude pode ser inimiga do companheirismo e do amadurecimento de uma relação, mas isso é apenas a minha opinião...

Indiscrição é um romance cheio de significado, que nos vai conquistando à medida que desfolhamos as suas páginas. 

Boas Leituras!

sábado, 14 de setembro de 2013

Novidades Editorial Bizâncio - «Farmacêuticas da Treta»

Título: Farmacêuticas da Treta
Subtítulo: Como as empresas da indústria farmacêutica induzem os médicos em erro e fazem mal aos doentes
Autor: Ben Goldacre
Colecção:  Máquina do Mundo
ISBN: 978-972-53-0529-4 
Páginas: 416
Preço de capa: 18,00€
Preço online: 16,98€
Ano: 2013

Sinopse:
"A medicina anda pelas ruas da amargura. Enquanto os doentes confiam na segurança e regulação dos medicamentos, e os médicos tentam receitar a terapêutica mais eficaz, a indústria farmacêutica global é um negócio de 600 mil milhões de dólares onde reina a corrupção e a ganância. Tanto os médicos como os doentes necessitam de boas provas científicas para tomarem decisões informadas. Mas as empresas efectuam ensaios enviesados dos seus fármacos, distorcendo e exagerando os resultados. Os dados inconvenientes são simplesmente enterrados. Os organismos governamentais de regulação ocultam informações vitais. Grupos aparentemente independentes de médicos e doentes são financiados pela indústria, num mundo louco onde, neste momento, há médicos e enfermeiros a receberem formação ministrada pela indústria farmacêutica. O resultado de tudo isto é inevitável: há doentes – e em grande número – desnecessariamente prejudicados. Ben Goldacre é o melhor escritor britânico sobre a ciência por trás da medicina, e este livro é uma denúncia clara e divertida, mostrando exactamente como a ciência tem vindo a ser distorcida e como seria fácil consertá-la."

Convite Editora Alfarroba: Exposição "O Homem das Solas de Vento"

"A Galeria Municipal do Castelo de Pirescouxe, em Santa Iria de Azóia, vai acolher, entre 14 de setembro e 2 de novembro de 2013, a exposição “O Homem das Solas de Vento – Uma viagem fotográfica pela Ásia” de Sérgio Brota.

O escritor, fotógrafo e viajante setubalense percorreu de papel, caneta e máquina fotográfica em punho, os encantadores países da Ásia. Deste velho fascínio pelo Oriente, nasceu o livro "O Homem das Solas de Vento", uma fusão de textos e fotografias, que retratam a vida na perspetiva de cada país visitado.

Um ano depois do lançamento deste livro surge a exposição homónima que revela parte da história das suas viagens ao redor do mundo, através de imagens captadas nos lugares por onde Sérgio Brota passou.

A não perder! Embarque nesta aventura e fique a conhecer o extraordinário trabalho deste fotógrafo…"

Editora Alfarroba

Galeria Municipal do Castelo de Pirescouxe
Urbanização do Castelo de Pirescouxe | 2695 Santa Iria de Azóia
Telefone: 211 150 663
Fax: 211 151 743
E-mail: dc_galerias@cm-loures.pt
Horário: terça a sábado, das 10h às 13h e das 14h às 18h
Encerra aos domingos, segundas e feriados

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Novidades Editorial Caminho para o mês de Setembro


Novos livros da Caminho para Setembro:

- Diário dos Tempos de Crise, de Daniel Sampaio, 
- Na Esfera do Mundo (o IV Volume da História de Portugal) de António Borges Coelho e 
- O Lago Avesso. Uma Hipótese Biográfica, de Joana Bértholo.

- Na área infantil-juvenil A Bruxa Cartuxa na Floresta dos Segredos, de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada.



OPINIÃO! «A Casa dos Sete Pecados», Mari Pau Domínguez


Autora: Mari Pau Dominguez
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 320
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722344135
Coleção: Grandes Narrativas
Preço: 16,90€

*imagem e sinopse retiradas do site da wook.

Sinopse:
"Madrid, 1568. A morte de Isabel de Valois leva o rei Felipe II a aceitar desposar a sobrinha, Ana de Áustria, com o objectivo de garantir ao reino um filho varão. Porém, sinceramente abalado pela morte da rainha, Felipe não encontra consolo nos braços da nova esposa mas sim nos da jovem aia das suas filhas, Elena Méndez. Na sua condição de soberano da monarquia mais poderosa do seu tempo, Felipe sabe que qualquer passo em falso pode ter consequências imprevisíveis, mas, dividido entre o desejo e a culpa, toma uma decisão que acabará por se revelar trágica e por mudar para sempre todos os envolvidos…"

Opinião:
A Casa dos Sete Pecados é um romance histórico que consegue seduzir o leitor com tantas intrigas e inveja que existiam na corte de Felipe II

A autora consegue descrever, de uma forma especial, o reinado de Felipe II o qual tinha uma postura algo rígida já que assim era e a palavra de um rei era uma ordem, no entanto esta personagem não deixa de ser cativante. Porque mesmo com os pecados que nunca abandonam o rei e corroem a sua alma...o leitor não é levado a odiar este rei supersticioso.

Trata-se de uma obra repleta de reviravoltas, construída por personagens agitadas e cuja existência baseia-se em mentiras e ganância.

A celebração do casamento de Ana de Áustria e o seu tio Felipe II foi um pouco macabro, mas nada que não estivesse à espera depois da morte da anterior rainha.

A personagem que me sensibilizou foi de facto a rainha Ana de Áustria, não só pela piedade que provoca ao leitor, como pela bagagem que adquiriu com o seu casamento desde fantasmas, desprezo, solidão e mais tarde conheceu o sabor e a tentação que a casa das sete chaminés podiam proporcionar.

O rigor a que José Saramago se reporta é realmente de realçar, pois trata-se de um romance histórico muito bem construído.

A Casa dos Sete Pecados conduz o leitor numa leitura muito agradável.

Boas Leituras!

OPINIÃO! «O Mistério do Príncipe Desaparecido», de Enid Blyton

Autor: Enid Blyton
Volume: 9
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 208
Editor: Oficina do Livro
ISBN: 9789895560202

Sinopse:

"O príncipe Bongawah desapareceu da colónia de férias e só há uma pista: dois bebés gémeos! Será que o príncipe foi raptado? Este é um mistério para detetives de calibre como os Cinco Descobridores, que mais uma vez contam com a ajuda do Mané, o sobrinho do Sr. Goon."

Opinião:
É final de verão e as férias estão a terminar, por isso é tempo de os cinco amigos estarem juntos de novo! A e Filipe aguardam ansiosamente pela chegada de Luís, Guida e o Gordo, mas é este último que com os seus disfarces deixa os seus amigos em modo de investigação e prontos para descobrir qual o disfarce que vai usar.

Gordo é um apaixonado por disfarces e livros que lhe proporcionam conhecimento sobre essa matéria e os seus amigos adoram as suas novas aquisições após as viagens que Gordo faz com os pais.

Neste volume, dois dias após fingir que era a irmã do princípe Borgawah do Estado de Tetarua, este desaparece durante a noite da colónia de férias. O que gera desde logo uma agitação, já que o inspector-chefe desconhece a existência de uma irmã do príncipe! 

A confusão está instalada, resta agora os cinco ajudarem a resolver o mistério!! Ao grupo também se junta Mané, sobrinho do Sr. Goon

O Mistério do Príncipe Desaparecido é uma aventura empolgante, com muito para descobrir!

Uma colecção que merece a atenção dos leitores jovens. 

Boas Leituras!



quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Novidades Topseller: «Morte na Arena», de Pedro Garcia Rosado


Autor: Pedro Garcia Rosado
Preço: 16,49€
Páginas: 352
Editora: Topseller

Primeiros capítulos: aqui.

Sinopse:
"Quatro homens aparecem mortos num prédio devoluto, ao lado de um braço decepado que não pertence a nenhum deles. Com o passar dos dias começam a surgir outros membros humanos espalhados por Lisboa, até ser evidente que são partes do corpo de uma jovem de dezasseis anos, filha de um dirigente político, que foi assassinada e que estava desaparecida havia meses.

As investigações destes casos estão a cargo da inspetora-coordenadora da  PJ, Patrícia Ponte, ex-mulher de Gabriel Ponte, que enfrenta agora obstáculos dentro da própria PJ, além da pressão do ex-marido, que quer informações sobre o caso, e da jornalista Filomena Coutinho, que foi a causa da separação deles.

Os três acabam por descobrir um inferno escondido nos túneis subterrâneos de Lisboa: uma arena onde especialistas em combate corpo a corpo massacram homens e mulheres, numa imitação dos combates de gladiadores da Roma Antiga."

Sobre o autor:
"Escritor e tradutor profissional, Pedro Garcia Rosado elegeu o policial como o seu género de eleição, sendo o único autor português de thrillers a publicar um livro por ano na área da literatura policial. As suas narrativas vibrantes e contemporâneas têm conquistado os leitores portugueses que gostam de adrenalina e de enredos repletos de mistério e suspense.
Pedro Garcia Rosado foi jornalista em O Diário, O Jornal e no Diário de Notícias, colaborador no Expresso e na Grande Reportagem (1.ª série). Foi ainda crítico de cinema no Se7e e JL."


Sugestão de leitura Topseller: «Departamento 19», de Will Hill


Autor: Will Hill
Preço: 19,99€
Páginas: 416
Editora: Topseller

Primeiros capítulos: aqui.
Para conhecer melhor a série: aqui.
E o site do autor: aqui.

Sinopse:
"Jamie Carpenter tem 16 anos e perdeu o pai há pouco tempo. No mesmo dia em que descobre que a sua mãe foi raptada por um vampiro, é salvo por uma criatura gigante que diz chamar-se Frankenstein e que o leva para o Departamento 19, a agência supersecreta do governo. Conhecida também por Luz Negra, esta agência foi fundada há mais de um século por Van Helsing e outros sobreviventes de Drácula para combater as forças do sobrenatural. Com a ajuda da agência, de Frankenstein e de uma jovem vampira por quem se apaixona, Jamie vai fazer tudo para salvar a sua mãe, mesmo sabendo que terá de enfrentar um exército de vampiros sedentos de violência, sangue e destruição.

ELES NÃO EXISTEM, MAS SALVAM-NOS A VIDA TODOS OS DIAS."

Crítica:
«Finalmente há sangue novo no mundo dos vampiros» 
- Revista SFX

 «Uma história original, envolvente e cheia de ação!» 
- The Sun

«Bram Stoker já pode descansar em paz: o seu legado no século XXI ultrapassou a série Twilight.» 
- The Telegraph

«Will Hill alcança um êxito imediato nesta explosiva estreia literária. Cada capítulo é de cortar a respiração e obriga-nos a ler o próximo. Um livro que nos faz sentir a adrenalina típica do cinema.» 
- Publishers Weekly


quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Novidades Vogais: «Portugueses Ilustres», de Pinheiro Chagas


Autor: Pinheiro Chagas
Preço: 13,29
Editora: Vogais

Primeira reedição, com ortografia actualizada  da edição revista e ampliada pelo próprio autor.

Consultar primeiras páginas: aqui.

Sinopse:
"Portugueses Ilustres é uma obra fundamental de Pinheiro Chagas, um dos mais notáveis escritores portugueses de todos os tempos. 

Este clássico do final do século xix é um compêndio de pequenas biografias dos portugueses mais ilustres de sempre, escrito num tom de exaltação dos grandes feitos nacionais.

Começando em Viriato e terminando em Almeida Garrett, Portugueses Ilustres apresenta aos leitores as vidas e conquistas de 133 personalidades, tais como D. Afonso Henriques, D. Dinis, Fernão de Magalhães, Vasco da Gama, Marquês de Pombal, Camões, Padre António Vieira ou Gil Vicente — exemplos de esperança que vêm da História.

Escrito numa linguagem simples e acessível, esta é uma obra indispensável para adultos e crianças conhecerem  algumas das personalidades mais importantes da História de Portugal. Em tempo de descrença nas elites nacionais, este é um livro que recorda os feitos dos grandes Portugueses, exemplos de esperança que vêm da História.

Manuel Joaquim Pinheiro Chagas foi um prolífico escritor, jornalista e político português. Nascido em Lisboa em 1842, destacou-se nas letras como romancista, historiador, crítico literário e dramaturgo, sendo eleito o mais popular escritor português do seu tempo. Escreveu inúmeros romances históricos e diversas peças de teatro, bem como diversas obras de história e crítica. Tendo frequentado o Colégio Militar, a Escola do Exército e a Escola Politécnica de Lisboa, Pinheiro Chagas interessou-se pela política, notabilizando-se como orador e desempenhando, em 1883, os cargos de deputado e de ministro da Marinha e Ultramar.

Na sua carreira jornalística fundou, em 1876, o Diário da Manhã, colaborando também como vários jornais e revistas, entre os quais O Panorama, Gazeta de Portugal, Diário de Notícias e Artes e Letras. Nestes periódicos assinou numerosos artigos de crítica literária. Faleceu em Lisboa em 1895, dois anos depois desta sua obra definitiva."

Convite Editora Alfarroba: Sessão de lançamento do livro «Mentira Conveniente»


Convite Editora Alfarroba: Sessão de lançamento do livro «Rimas numa folha de alface»


domingo, 25 de agosto de 2013

Novidades Literatura de Cordel: «As Cuecas», de Luís Duarte

Autor: Luís Duarte
Páginas: 80
Preço: 10,00€
Consultar as primeiras páginas: aqui.

Sinopse:
"Era uma vez um jovem rico e bonito que se apaixonou por uma humilde empregada de mesa. Depois de muitas peripécias acabaram por se casar, gerando uma prole lourinha e de olhos azuis. Viveram depois felizes para sempre. Bem, este tipo de história é demasiadamente asséptico. É como beber água destilada. Não sabe a nada. Nitidamente não é esta a história do livro.

Era uma vez um ursinho e uma ursinha de peluche que compartilhavam a mesma prateleira do ToyRus. Apaixonaram-se, e de seguida casaram com toda a pompa e circunstância, tendo como convidados os brinquedos do Toy Story. Como ele não tinha pedalada para ela, ainda pensou tomar comprimidos azuis, mas descobriu que não eram comparticipados pelo SNS. Com ou sem comparticipação, ele andava sem dinheiro para os comprar, porque o Gaspar limpou-lhe os subsídios todos. Como o que ela mais gostava era que trepassem por ela acima, acabou por fugir com um macaco de peluche. É o que acontece a quem é um urso flácido e teso. O ursinho, para combater a dor de corno, lá se ia distraindo a passear nas horas de fecho pela loja fora a meter o nariz em todo o lado. À meia-noite, o ursinho aproximou-se de uma máquina trituradora de papel em funcionamento, e ao debruçar-se sobre ela, desequilibrou-se devido ao peso excessivo dos cornos. Acabou depois por ser vendido a retalho. Desde aí, o ToyRus tem andado assombrado por uma alma penada que ulula à meia-noite em ponto. Bem, isso de amores de ursinhos de peluche é uma mariquice pegada. Também não é esta a história do meu livro.

Era uma vez um macho latino chamado Chico, que armado em Chico esperto... O melhor será comprar o livro para saber a história."

Literatura de Cordel

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Vencedor Passatempo Editorial Bizâncio «Chorar, Estremecer, Morrer», de Robert Levine


Terminou o passatempo com a parceria da Editorial Bizancio, com oferta do livro «Chorar, Estremecer, Morrer», de Robert Levine.

Mas antes de anunciar a vencedora, as respostas correctas são:
1- por que razão as pessoas não passam o tempo a cantar... Ópera ou qualquer outra coisa;
2-  Mio Babbino Caro, de Puccini;
3- Campeonato do Mundo de Futebol de 1990.

Conforme as regras do passatempo, o vencedor é seleccionado através do programa Random.org. 

Sem mais demoras a vencedora é:

n.º 16  Isabel Cristina Azevedo

Parabéns Isabel!
Entretanto já foi contactada por email para confirmar a morada.

Obrigada a todos os participantes!
Estejam atentos aos próximos passatempos!

Boas leituras!

OPINIÃO! «A Morte do Rei de Espanha», de Carlos Daniel

Autor: Carlos Daniel
Colecção: Viagens Na Ficção
Páginas: 390
Data de publicação: Julho de 2012
Género: Ficção
Preço: 14,00 €
ISBN: 978-989-697-695-8

Sinopse:
"Juan Muriel vê o pai agredido e enxovalhado numa esquadra da Guardia Civil. O seu pai é acusado d'Os horrorosos crimes de Cádis e todas as provas apontam nesse sentido.
Num enorme quadro, suspenso por cima da secretária do comandante, a figura do Rei legitima toda a violência e todas as infames acusações que se abatem sobre Pedro Olivares e que irão destruir a sua vida e o seu império.
Juan Muriel tem apenas dez anos, mas estabelece como único objectivo da sua vida matar o Rei de Espanha.
Os anos vão cimentando a sua obsessão doentia.
Tem a seu favor um tempo infinito para cumprir a sua vingança e um plano perfeito para a executar.
Basta que o Rei venha a Lisboa.
Esse dia chegou
."

Opinião:
Sublinho desde já que adorei o livro! 

A Morte do Rei de Espanha começa com a prisão de Pedro Olivares assistida pelo seu filho de 10 anos, Juan Muriel Olivares Cardenas.

Pedro Olivares é uma personagem forte e inteligente com uma consciência inabalável de tal forma que insistiu que o seu filho Juan, pudesse acompanhar o pai desde logo aquando da sua prisão e também ao longo do julgamento mais falado de Cádis.

Pedro Olivares foi condenado de imediato pelo povo, um povo que não se dignou a esperar a sentença do tribunal, por se tratar de um assassinato de três pessoas com contornos violentos e muito suspeitos.

O seu irmão, Álvaro Olivares tem também um papel fundamental, pois coube a ele acompanhar o sobrinho Juan sob a ordem e direcção do pai que se encontrava na cadeia.
Tais circunstâncias marcam a infância de Juan de tal forma, que passa a ver na figura imponente do rei a culpa que tanto procura, sendo certo que será ele, Juan Cardenas o carrasco do Rei de Espanha! Estes tormentos perseguem Juan até Lisboa, onde aumenta a sua obsessão e configura um plano metódico para concretizar a sua vingança, contudo a entrada de Sara Marques na sua vida vem abalar o seu desempenho, com emoções que até então desconhecia.

"A Morte do Rei de Espanha" descreve uma ligação muito especial, a ligação de um pai e um filho. 
Ao longo de todo o processo judicial, Pedro Olivares não deixa de educar e preparar o seu filho, incutindo-lhe educação e valores morais. Muito sinceramente a ligação destas personagens descrita nesta obra, é de louvar. 

O autor Carlos Daniel, a meu ver conseguiu abordar de uma forma adequada, o processo judicial e psicológico de todos os envolvidos nesta nuvem negra que paira sobre a família Olivares. Criou vários momentos de suspense e de dúvida e ia revelando a informação aos poucos e no momento certo, o que me embrenhou ainda mais nesta leitura.

Em "A Morte do Rei de Espanha" temos claramente uma canalização de ódios e rancor em momentos de grande angústia e impotência perante atrocidades que acontecem na vida das pessoas, como também uma busca incessante por algumas palavras de inocência.

Uma obra que me marcou...

Boas Leituras!